Confira algumas dicas para quem está programando um viagem cicloturística ou de longa distância pedalando.

Há algum tempo atrás fiz um pedal de longa distância, 130 km em uma só etapa. Assim como os 180 km entre Goiânia e Goiás Velho e 115 km percorrendo as cidades de Cenegilha/Santo Domingo de Olleros/Lima no Peru. Esses pedais são atípicos, não tenho muito costume com a modalidade, mas topo esses desafios.

Não escondo de ninguém que minhas paixões são o Single Track, o All Mountain, o Enduro e o Cicloturismo. As viagens de cicloturismo, que já tive a oportunidade de fazer em 7 países, apesar de não serem grandes pedaladas de uma só vez, podem ser consideradas mais difíceis por causa de alguns detalhes que devem ser observados, como os alforges, roupas apropriadas, principalmente para o frio e os vários dias do roteiro escolhido, essas pedaladas me renderam uma boa experiência, não só por estudar o assunto, mas por sentir na pele as dificuldades, como: a falta de conhecimento da região, teimosia por não adquirir equipamentos apropriados para a modalidade e o estudo prévio do lugar onde será o desafio.

De qualquer maneira, os pedais de longa distância em um mesmo dia, para mim, é muito cansativo, mas quando tem um visual que compense, um percurso chamativo ou um atrativo natural no final como recompensa, maior do que apenas o desafio da pedalada e alguns companheiros disposto para tal, justifica-se. Mesmo porque, dificilmente me arrisco a pedalar sozinho. 

Como parte da experiência adquirida, deixo algumas dicas para quem está programando um viagem cicloturística ou de longa distância. 

Hidratação

Não espere ter sede, a cada 20 minutos tome um pouco d’água. Nas pedaladas de longa distância utilize repositores eletrolíticos como isotônicos, água de côco, etc, que também repõe sais minerais e tem carboidratos para manter a energia. Eu utilizo repositores em pastilhas, cada uma misturada à água rende 500ml. 

Alimentação

No mínimo 30 minutos antes de sair para pedalar, se alimente bem, apenas o suficiente, para não ficar pesado. Leve com você frutas, barras energéticas e suplementos alimentares solúveis em água. Assim como a hidratação, não espere ficar com fome para comer, desse modo você evita o desgaste físico e a sensação de insaciedade. Recomendo comer algo de hora em hora. 

Nas minhas pedaladas faço uso de suplementos alimentares, rapadura, paçoca de carne seca ou snacks de carne e frutas secas como banana e damasco. As famosas barrinhas, acho muito enjoativas, (os alimentos salgados equilibram isso) apesar de serem ricas em proteínas.

Conforto

Use sempre as bermudas coladinhas (risos) e acolchoadas, selim confortável, específico para grandes pedaladas e cicloturismo, existem várias opções disponíveis no mercado, evite, se possível, usar mochila, pochete ou bolsa de hidratação. Ao passar das horas, qualquer peso vira um fardo, além de agredir a lombar. 

Roupa de baixo – Sempre usava cueca em todas as minhas pedaladas, até que veio meu primeiro pedal longo, e por alguns dias seguidos fiquei com a virilha assada, quase em carne viva. Depois disso, em pedais longo nada de cueca, somente roupas para pedalar de boa qualidade, e em pedais curtos somente cuecas boxer sem costuras, tudo de bom!

Para as meninas, existem roupas de pedal especiais com costuras embutidas e forros diferenciados. 

Roupas para frio/chuva

Nunca deixe de seguir as orientações do seu guia de cicloturismo, principalmente quando se trata de viagens a outros países. Independente se chova ou não, se fará frio ou não, é melhor ter roupas adequadas, assim se houver qualquer intempérie da natureza você estará pronto para encarar. 

Equipamentos

Calça impermeável ou capa de chuva (http://goo.gl/w1T7kX), sapatilha impermeável ou capa de sapatilha, jaqueta corta vento/impermeável (http://goo.gl/5fQT6h), segunda pele (http://goo.gl/B2XdJm), blusa de frio segunda camada (http://goo.gl/2nRtr1), luva corta vento/impermeável e toalha de alta absorção (http://goo.gl/pw9hDP). Estes são alguns itens indispensáveis! O lenço tubolar é uma boa opção para se proteger da poeira e também protege os lábios e o nariz do frio, a marca mais conhecida é a EcoHead. Com seus vários esquemas de dobras, pode ser usado de diversas maneiras.

Todos os itens citados são equipamentos leves, em várias peças, assim a medida que o frio ou o calor for apertando, você pode ir colocando ou tirando as roupas como preferir. Coloquei alguns links como exemplo, mas existem várias opções no mercado. 

Equipamentos para a bike

O equipamento básico necessário para começar seu pedal de longa distância e ou cicloturismo é uma boa garupeira, com várias opções para bikes rígidas com freio a disco e tamanho de rodas. Para quem não abre mão do conforto de uma bike full, seus problemas acabaram! Já existe no mercado um único modelo de bagageiro especialmente desenvolvido para as bikes full, é o Thule Pack’n Pedal, seu esquema de fixação permite a suspensão traseira trabalhar normalmente, não afetando seu funcionamento. 

Outro item é o par de alforges, com capacidade de no mínimo 15 litros cada. Assim como a garupeira, existem várias opções no mercado, porém, de acordo com suas intenções de pedalada como: tempo, local escolhido e quantidade de viagens por ano, você pode comprar um par ou 2 pares de alforges para ser carregado também na frente da bike, observando que há capacidade maior de carga, resistência à chuva e qualidade de fabricação. 

Dicas de pedalada 

É claro que cada indivíduo adquiri ou cria uma técnica própria de pedal, mas mesmo assim, deixarei algumas dicas da técnica que eu uso.

Quando o grupo é grande, normalmente existem ciclistas de vários níveis de pedal e é comum em nós o espírito competitivo, então evite pedalar forte, principalmente no início, sem aquecimento prévio, o desgaste é maior e vai te faltar fôlego mais adiante. 

Pedale no seu ritmo, mas mantenha a cadência, como diz o velho ditado chinês (risos), devagar e sempre. 

Em pedaladas com o alforge, cuidado nas curvas e nas descidas. A velocidade X deslocamento de peso muda a força G e a bike pode derrapar ou pegar uma velocidade maior, tornando difícil a frenagem e dificulta a mudança de direção. 

Beba água a cada 20 minutos e se alimente de hora em hora. 

Independente se o tempo está quente ou frio, use protetor solar. 

Dê preferência a calças compridas e camisas de manga longa, mesmo porque se estiver frio, irá te proteger do frio e se estiver com o sol rachando mamona, te protegerá dos raios solares. 

Carregue sempre com você um kit básico de chaves e remendos, câmara de ar sobressalente, chave de corrente, bomba ou ar comprimido e, na minha opinião o mais importante, uma gancheira. Essa peça é a responsável pela fixação do câmbio traseiro com o quadro da bike. Cada marca de bike tem um modelo específico, assim, dificilmente, no meio de uma pedalada, você conseguirá outra para repor.

Farol é bem vindo! Pode ocorrer imprevistos e pedalar a noite pode ser necessário. 

Nas pedaladas pela praia, prefira os horários de maré baixa e trafegue próximo à água. Com a areia batida, a rolagem é mais suave e o desgaste físico é menor. Evite molhar a bike com a água do mar e ao terminar sua viagem, faça uma revisão geral e minuciosa para tirar todos os focos de ferrugem.

Se usar freio à disco, leve pastilhas extras, a areia causa um desgaste excessivo às mesmas. 

Outras dicas

Em viagens cicloturísticas, leve somente o que seja extremamente necessário, ao longo do percurso você vai querer jogar muita coisa fora. Vá por mim!

Faça opção por pedaladas em grupo e use equipamentos de segurança.

Revise periodicamente sua bike e antes de qualquer viagem longa, faça ao menos uma boa pedalada antes. Assim você evita surpresas com revisões mal feitas, isso é, ignore este item caso o seu mecânico for de confiança.

Para fazer longos trajetos é preciso o mínimo de resistência física. Comece com distâncias menores, mantenha regularidade, pedalando ao menos 3 vezes por semana e sempre aumentando o ritmo e a distância, escolha um dia para pedalar um pouco mais longe. Antes e depois do pedal mantenha a boa alimentação e hidratação. 

Não se esqueça que o descanso também é fundamental. Depois de uma boa pedalada, para evitar as fadigas musculares, nosso corpo exige ao menos 24h de descanso da magrela.

Essas dicas pode ser a diferença entre você chegar inteiro, destruído, empurrando ou dentro do cata-ossos se tiver.

Via Claudia Augusta 2013Mezzocorona, ItáliaDivisa da Áustria com a Suíça, Via Claudia Augusta 2017Áustria, Via Claudia Augusta 2017Munique, AlemanhaGravação 50x1 RecordJalapão MTB Tour 2014Jalapão MTB Tour 2016Saqsaywaman em Cusco, PeruVia Claudia Augusta 2017

Parque Estadual do Jalapão – PEJ

“Aqui, estou me sentindo uma estrela, nunca fui tão assediada!” diz Vânia sobre andar na fatbike no Jalapão #jalapãomtbtour #socialpedal #jalapãoaventura #jalapão #jalapao #jalapaoebruto #cicloturismo #cicloviagem

Pousada Beira da Mata – Mateiros, Jalapão – Tocantins

“Quero voltar e trazer meus amigos” @marcosvinicius_adv. Ele conheceu o Jalapão pedalando no #jalapãomtbtour2018. Venha você também pedalar com a gente! O Jalapão é bruto mas também é cravejado de brilhantes! #socialpedal #jalapão #jalapao #jalapaoebruto #cicloturismo #cicloviagem #mtb

“Quero voltar e trazer meus amigos” @marcosvinicius_adv. Ele conheceu o Jalapão pedalando no #jalapãomtbtour2018. Venha você também pedalar com a gente! O Jalapão é bruto mas também é cravejado de brilhantes! #socialpedal #jalapão #jalapao #jalapaoebruto #cicloturismo #cicloviagem #mtb

Instagram filter used: Normal

Photo taken at: Pousada Beira da Mata – Mateiros ,Jalapão – Tocantins

View in Instagram ⇒